Archive | outubro, 2012

Ramonet: “Venezuela é exemplo de democracia para a Europa”

8 out
O jornalista espanhol, editor do Le Monde Diplomatique, também alertou para os riscos que ainda existem na região
07/10/2012 – 19h05 | Marina Terra | Caracas
Do Opera Mundi – http://operamundi.uol.com.br

A poucas horas do resultado das eleições venezuelanas, o jornalista espanhol Ignacio Ramonet avaliou que o processo eleitoral do país serve como um “exemplo” para uma Europa em crise, “que está sendo profundamente penalizada pelo fracasso do neoliberalismo”. Além disso, destacou que a região ainda deve ficar em alerta para “novos tipos de golpismo” que aconteceram recentemente.

Wikicommons

“Representantes da esquerda europeia estão olhando para baixo, para a América Latina, nomes como Jean-Luc Mélenchon, porque aqui está sendo construído o estado de bem-estar, enquanto lá o estão destruindo”, disse. Para o intelectual, editor do jornal Le Monde Diplomatique, que veio acompanhar o pleito em Caracas, “as eleições na Venezuela mostram que, sim, é possível governar de outra forma”.

Leia especial do Opera Mundi sobre a Era Chávez

Ramonet também comentou que a quantidade de eleições já realizadas na Venezuela desde a primeira gestão de Chávez, em 1998, demonstram que o jogo democrático venezuelano é “limpo e aberto”, o que acaba reforçando “as estruturas políticas e democráticas” não só do país, mas de toda a América Latina. “Essas eleições são a demonstração de que a Venezuela quer reforçar sua democracia, que quer que todos disputem no mesmo patamar”.

Acompanhado de outros observadores internacionais, como a ex-senadora colombiana Piedad Córdoba, o ator norte-americano Danny Glover e a Prêmio Nobel da Paz guatemalteca Rigoberta Menchú, Ramonet também fez um alerta sobre os recentes golpes em países latino-americanos, citando os casos de Honduras (2009) e Paraguai (2012).

“A América Latina precisa estar em alerta para as novas formas de golpe que vêm se desenvolvendo. Golpes que não são executados por militares ou armas, mas com um verniz constitucional, como o que foi levado a cabo contra Lugo”, sublinhou.

Leia mais

Povo venezuelano comemora vitória de Chávez!

8 out

Fotos do perfil do Facebook:  http://www.facebook.com/ChavezCorazonPatria

Venezuela: Socialismo triunfa e enche América Latina de esperança

8 out

Por Vanessa Silva* e Leonardo Wexell Severo, de Caracas – Venezuela
Do Blog ComunicaSul – Comunicação Colaborativa – http://comunicasul.blogspot.com.br/

8 de Outubro de 2012 – 4h31

Com 54,42% dos votos, o presidente Hugo Chávez Frías foi reeleito na Venezuela e governará o país no período de 2013 a 2019. Há 14 anos no poder, este será o terceiro seu mandato. O candidato da oposição, Henrique Capriles, obteve 44,97% e ganhou em apenas quatro Estados dos 24 que compõem a Venezuela. Em uma verdadeira festa cívica, 81% dos venezuelanos compareceram às urnas, mesmo o voto não sendo obrigatório no país.
AVN

Chávez vitóriaMultidão saúda vitória de Chávez no Palácio de Miraflores: “foi a vitória perfeita”, afirmou Chávez

Apesar da expectativa de que o candidato da oposição pudesse não reconhecer o resultado revelado pelas urnas, Capriles admitiu sua derrota e rejeitou a ação de setores radicais. O candidato fez também um chamado para que “nosso povo não se sinta perdedor. Quem foi derrotado fui eu”, afirmou. E agradeceu aos mais de seis milhões de venezuelanos que votaram nele.

Diante de dezenas de milhares de manifestantes que tomaram a frente e as imediações do Palácio de Miraflores na noite de domingo (7), o presidente Hugo Chávez agradeceu aos mais de oito milhões de venezuelanos que lhe garantiram um novo mandato.

Acompanhado pela família e por lideranças no balcão presidencial, o líder bolivariano agradeceu a multidão e ressaltou que o povo “votou pela revolução, pelo socialismo e pela grandeza da Venezuela”.

Independência e integração

Chávez fez questão de ressaltar que o primeiro e principal objetivo de seu novo mandato já foi alcançado sendo “não outro que ter conservado o bem mais precioso que conquistamos depois de 500 anos de luta: a independência nacional”.

A expressiva vitória nas urnas, enfatizou o presidente, demonstra que “não haverá força imperialista, por mais forte que seja, que possa com o povo bolivariano. Venezuela nunca mais voltará ao neoliberalismo, seguirá transitando para o socialismo bolivariano do século 21″. E reiterou que “hoje ganhou a América Latina”.

Imediatamente, milhares de vozes entoaram o grito “alerta, alerta que caminha a espada de Bolívar pela América Latina”, fazendo tremular bandeiras do Brasil, Cuba e Argentina, entre outras, num colorido que expressava o espírito da integração solidária do continente.

Cordialidade

Em tom cordial, Capriles pediu que Chávez trabalhe por todos os venezuelanos e parabenizou o comandante por sua vitória. “O que o povo diz está dado e respeito sua palavra”. Por sua vez, o presidente também fez um “reconhecimento especial à oposição, que não fez planos desestabilizadores. Assim que se joga na democracia”, exclamou.

* Vanessa Silva é jornalista, enviada especial do Vermelho a Caracas, e integrante do ComunicaSul
** Leonardo Wexell Severo é jornalista e integra em Caracas a equipe do ComunicaSul

Vitória de Chávez! Vitória da América Latina!

8 out

Resultado oficial: Chávez 54,42%; Capriles 44,97%.

Só 19% do eleitorado não compareceu às urnas na Venezuela, onde o voto não é obrigatório. Vitória da democracia!

VIVA A REVOLUÇÃO BOLIVARIANA!!! VIVA AMÉRICA LATINA!

Chávez electo presidente de Venezuela con 54,42 por ciento de los votos
Domingo 7 de Octubre de 2012, 01:03 pm
Da TeleSur

El presidente de Venezuela, Hugo Chávez, resultó ganador en las elecciones realizadas este domingo en Venezuela, de acuerdo con lo anunciado por el Consejo Nacional Electoral (CNE) en su primer boletín luego de cerradas la mayoría de mesas de votación.

Con 54 por ciento de los votos, el candidato del Partido Socialista Unido de Venezuela (PSUV), Hugo Chávez, fue electo presidente de la nación para un nuevo periodo de seis años, de acuerdo al primer boletín de resultados ofrecido la noche del domingo por el Consejo Nacional Electoral (CNE)

La rectora del ente electoral, Tibisay Lucena, indicó que con el 90 por ciento de las actas escrutadas, un total de 7 millones 444 mil 082 venezolanos, que representa el 54,44 por ciento, votaron por el candidato socialista.

Mientras tanto, por el candidato de la Mesa de la Unidad Democrática (MUD), Henrique Capriles Radonski, votaron 6 millones 151 mil 544 votos, para un 44,97 por ciento de votos.

El nivel de abstención se ubicó en 19,06 por ciento, tal y como lo aseguró la titular del árbitro electoral, quien felicitó al pueblo venezolano por su masiva presencia en las urnas.

Cerca de 200 organizaciones de observación acompañaron al CNE en las presidenciales que se celebraron con total normalidad este domingo 7 de octubre.

El sistema electoral venezolano funcionó con normalidad, salvo en algunos centros de votación que se registraron algunas fallas que no generaron impacto en la votación.

%d blogueiros gostam disto: