Archive | agosto, 2012

Movimentos sociais e partidos políticos realizam ato-festa em apoio a Chávez em SP

30 ago

versión en español

Evento político-cultural da “Campanha Brasil está com Chávez” reúne personalidades e apoiadores como MST, PT, PCdoB, CUT, UNE, PSOL, PSB, Levante Popular da Juventude e CTB

Na próxima quarta-feira (5), a “Campanha Brasil está com Chávez” promove um ato-festa em solidariedade ao povo venezuelano e em apoio à eleição de Hugo Chávez, atual presidente da Venezuela. A atividade será realizada às 19h, na Casa de Portugal (Av. Liberdade, 602), em São Paulo (SP), e é aberta ao público.

O evento contará com um ato político com os dirigentes dos movimentos/partidos/organizações da Campanha, além de apresentações musicais do Brasil e da Venezuela. Já estão confirmadas as presenças de João Pedro Stédile, da Direção Nacional do MST; Fernando Morais, jornalista e escritor; Renato Rabelo, presidente do PCdoB; Valter Pomar, da Direção Nacional do PT; Nalu Farias, da Marcha Mundial de Mulheres; Dora Martins, juíza e integrante da Associação de Juízes para a Democracia; Ricardo Gebrim, da Coordenação Nacional da Consulta Popular; Socorro Gomes, presidenta do Cebrapaz.

A atração musical venezuelana do ato será o grupo Tambores Bombayá (ouça uma música deles: http://bit.ly/NEssPe ), que apresentará o ritmo da percussão afro-venezuelana e da militância bolivariana para o Brasil. Já a atração brasileira será o Thobias, daVai-Vai, e a apresentação do cantor e compositor Pedro Munhoz, que compôs o jingle (ouça aqui: http://bit.ly/PSEJSj ) da Campanha brasileira em apoio a Chávez.

No ato também será apresentado um vídeo com o depoimento de personalidades brasileiras que apóiam Chávez, como o ex-presidente Lula, o jornalista e escritor Eric Nepomuceno, e o jornalista e professor Denis de Morais.

A Campanha

Em 7 de outubro, acontecem eleições presidenciais na Venezuela. Para a campanha, o Brasil tem um papel político importante nessa disputa, uma vez que a direita venezuelana e brasileira buscam impedir a continuidade e aprofundamento da chamada Revolução Bolivariana. “O que está em jogo nas eleições da Venezuela é uma disputa de modelos para os povos latinoamericanos. A vitória de Chávez extrapola os marcos venezuelanos e se reveste de um caráter continental. A vitória de Chávez é a vitória da América Latina”, afirma João Pedro Stédile.

É por isso que partidos políticos, organizações sindicais, movimentos sociais e entidades estudantis brasileiras criaram a “Campanha Brasil está com Chávez” (https://brasilcomchavez.wordpress.com), que conta com o apoio do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), Partido dos Trabalhadores (PT), Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Partido Socialista Brasileiro (PSB), União Nacional dos Estudantes (UNE), Levante Popular da Juventude, Via Campesina, União da Juventude Socialista (UJS), Cebrapaz, Foro de São Paulo, Consulta Popular, Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) e Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil (Feab).

Assessoria de imprensa: (11) 99297-7815 (Beatriz) – brasilcomchavez@gmail.com

Sobre o incêndio na refinaria Amuay, na Venezuela

29 ago

Confira abaixo o artigo de Emanuel Cancella, secretário-geral do Sindipetro-RJ e diretor da Federação Nacional dos Petroleiros, sobre o incêndio na refinaria Amuay, na Venezuela. No texto, ele contextualiza o acidente (ou sabotagem). Trata-se também de um alerta, pois o caso vem sendo utilizado pela direita para defender a privatização da PDVSA, além de atacar o governo e a candidatura de Chávez.

Aqui no Brasil, diversas entidades de trabalhadores ligadas ao petróleo demonstraram solidariedade ao povo venezuelano. Clique no link das entidades para ler suas notas/manifestos sobre Amuay.

CUT – Central Única dos Trabalhadores

Sinergia – Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Energia Elétrica de Florianópolis e Região

FUP – Federação Única dos Petroleiros

CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil

***

Venezuela: acidente ou sabotagem?

Por Emanuel Cancella*

É preciso refletir sobre o acidente na maior refinaria do mundo, Amuay, situada na cidade de Ponto Fijo, na Venezuela, que deixou um saldo de 48 mortos e dezenas de feridos.

Em primeiro lugar, o acidente evidencia os riscos a que estão expostos os petroleiros. Quem trabalha no setor petróleo, através de seus sindicatos, está sempre a cobrar políticas de segurança que assegurem a saúde e a integridade física tanto dos trabalhadores como dos moradores que vivem no entorno das refinarias e fábricas.

Na Venezuela como no Brasil as nossas pautas de reivindicação vão além da questão remuneratória. No Brasil, os petroleiros da Petrobrás, que no momento estão em campanha salarial, entregaram suas reivindicações à empresa desde 16 de agosto e há capítulos inteiros sobre a falta de segurança no trabalho.

No entanto, mesmo com todas as precauções, o trabalho é de risco e os acidentes acontecem. No caso do incêndio na refinaria da Venezuela, alguns aspectos não podem ser ignorados.

O país está em ano eleitoral e o candidato Hugo Chávez se mantém com vinte pontos percentuais à frente de seu concorrente. De forma oportunista e desumana, parte da imprensa venezuelana tenta tirar proveito eleitoral desse drama, jogando a culpa do acidente nos petroleiros e no governo Chávez.

Vale lembrar um fato significativo da história recente da Venezuela: em 2002, alguns petroleiros da PDVSA “vendidos” ao capital estrangeiro queriam privatizar a companhia e apoiaram o “lockout” contra Chávez, chegando a paralisar as refinarias. Chávez precisou agir com firmeza, demitindo os conspiradores e passando o controle da empresa para as mãos daqueles que enfrentaram os sabotadores.

Desde sábado, quando começou o incêndio Amuay, os mesmos petroleiros que no passado enfrentaram os sabotadores estão tentando, de todas as formas, debelar o fogo, o que fazem com muito empenho e competência. Em pouco tempo será possível retomar as atividades da refinaria. Já os sabotadores preferem envenenar a opinião pública, correndo para abastecer a mídia de opiniões e informações infundadas, sequiosos de se aproveitar da tragédia para reverter índices eleitorais.

Também é necessário fazer-se um paralelo com o Paraguai. O presidente Lugo foi derrubado em decorrência de um golpe parlamentar, depois de um conflito agrário que resultou na morte de vários camponeses, a pretexto de ter sido incapaz de conter o conflito.

No caso do Paraguai,  desde 2009 o WikiLeaks já denunciava que, dos Estados Unidos, o golpe contra Lugo estava em gestação. No caso da Venezuela, o jornal espanhol “El País”, publicou, em 2006, matéria sobre um videojogo fabricado nos Estados Unidosque tinha como objetivo derrubar o governo venezuelano. Os vilões da história eram os “rojos” – vermelhos – e parte do jogo propunha um ataque a refinaria de Amuay:

Para nós, fica difícil deixar de considerar algumas hipóteses: diante desses antecedentes, faltando 40 dias para as eleições presidenciais, um acidente de tal proporção terá sido, de fato, mera coincidência? Fica no ar a pergunta: acidente ou sabotagem?

Toda a solidariedade dos petroleiros do Brasil aos mortos, feridos e a seus familiares!

(*) Secretário-geral do Sindipetro-RJ e diretor da Federação Nacional dos Petroleiros.

Participe do ato político-cultural em apoio ao Chávez!

28 ago

Ato político-cultural em solidariedade ao povo venezuelano e apoio a Chávez

Dia 5 de setembro, quarta-feira, às 19h, na Casa de Portugal (Avenida Liberdade, 602, centro de São Paulo – próximo à Estação Liberdade do Metrô)

Ato político + Apresentações culturais de samba, viola e um grupo venezuelano

Estamos acompanhando a conjuntura político-eleitoral que se desenrola na Venezuela com a proximidade das eleições presidenciais em 7 de outubro.

A direita tem seu candidato, estilo Fernando Collor 1989, Henrique Capriles, que há algum tempo foi militante da TFP venezuelana e que, no golpe contra Hugo Chávez em 2002, tentou invadir com seu grupo a Embaixada de Cuba.

Agora a direita continental se articula em torno dele, com todas as provocações possíveis. Assim como o recente “acidente” numa refinaria de petróleo, com dezenas de mortos, vem sendo utilizado pela direita para defender a privatização da PDVSA, o que leva a suspeitar sobre a possibilidade de sabotagem.

Depois da tentativa de golpe na Venezuela, no Equador e dos golpes de Estado em Honduras e Paraguai, cada eleição presidencial é uma disputa continental de projetos.

A vitória de Chávez extrapola os marcos venezuelanos e se reveste de um caráter continental. A vitória de Chávez é a vitória da América Latina!

Diante deste cenário, partidos, movimentos sociais, forças populares da esquerda brasileira, unidos na “Campanha Brasil está com Chávez” (https://brasilcomchavez.wordpress.com ) realizam um ato político-cultural para manifestar nosso apoio.

Contamos com sua presença! Compareça. Divulgue aos seus amigos.

Comitê Nacional da “Campanha Brasil está com Chávez”

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST)
Partido dos Trabalhadores (PT)
Partido Comunista do Brasil (PCdoB)
Central Única dos Trabalhadores (CUT)
Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)
Partido Socialismo e Liberdade (PSOL)
Partido Socialista Brasileiro (PSB)
União Nacional dos Estudantes (UNE)
Levante Popular da Juventude
Via Campesina
União da Juventude Socialista (UJS)
Cebrapaz
Foro de São Paulo
Consulta Popular
Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA)
Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil (Feab)

Charge do companheiro Latuff

27 ago

Bela charge do Latuff…

%d blogueiros gostam disto: